Different methodological approaches to natural vulnerability to erosion in southeastern Brazil

Autores : Ana Claudia Pereira Carvalho, Diego Peruchi Trevisan, Ana Paula Jacó, Naara Aline Tossani de Melo, Polyanna da Conceição Bispo, Luciana Ruggiero Bachega, Junio da Silva Luiz, José Augusto Di Lollo, Luiz Eduardo Moschini, Reinaldo Lorandi.


Data de publicação: 12/06/2020


Periódico: Brazilian Journal of Development

A vulnerabilidade natural aborda os processos de morfogênese e pedogênese integrando informações relacionadas ao substrato rochoso, solos, geomorfologia, vegetação. O estudo da variabilidade natural é essencial para a compreensão dos ecossistemas frente aos processos de mudança no ambiente. Este trabalho teve como objetivo analisar a vulnerabilidade natural à ocorrência de erosão, adotando um método baseado no método Crepani e Processo Hierárquico de Análise (AHP) na Bacia Hidrográfica do Rio Claro - São Paulo - Brasil. Quatro planos de informação foram utilizados na escala de 1:50.000, sendo: geomorfologia, pedologia, geologia e vegetação/intervenção antrópica. A Carta de Vulnerabilidade Natural à Erosão é classificada em cinco classes (Muito Baixa, Baixa, Média, Alta e Muito Alta).

Comparando-se as cartas geradas pelos dois métodos baseados em Crepani et al. (2001) e Saaty (1980), houve diferença nas classes de vulnerabilidade Muito Baixa e Alta. A classe mais evidente em ambas as cartas é a vulnerabilidade Média, correspondendo a 94,55km² da área na carta do Método Crepani, e 93,34km² na carta Método AHP, seguida pela classe “Baixa” correspondente de 55,56km² e 76,67%, respectivamente, os métodos Crepani e AHP. Para a classe "Alta", houve uma redução de 48,28% em relação às duas cartas, a classe "Muito Alta", sofreu a menor alteração (-0,09%), enquanto a classe "Muito Baixa" aumentou acima de 100%. Os métodos utilizados permitiram a geração de resultados que mostram a realidade da área de estudo, vale ressaltar que o método Crepani é mais genérico por considerar a similaridade dos planos de informação para a análise da vulnerabilidade, enquanto o método AHP apresenta a vantagem de hierarquizar tanto os planos de informação quanto suas classes, destacando a importância relativa da vulnerabilidade natural à erosão.



DOI:https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-276

0 visualização
  • Facebook

©2019 by LabGCAm/UFSCar.